image

Muito obrigado para Andrea de Sousa Ferraz para esta tradução



Bob Andy (nascido Keith Anderson) surgiu como uma estrela solo em 1966 com o famoso hit "I’ve Got to Go Back Home", música que se tornou um hino muito amado pelos jamaicanos. Ele deu início a sua carreira de cantor e compositor no lendário grupo vocal The Paragons, que ele mesmo fundou com Tyrone (Don) Evans e Howard Barrett, e que mais tarde recebeu John Holt como integrante. The Paragons tiveram vários hits para o produtor Coxsone Dodd, incluindo o número um "Love At Last", composta por Bob.
Bob Andy
Como um dos mais proeminentes artistas do Studio One, Bob trabalhou com Jackie Mittoo em muitas das músicas distintas e originais da gravadora. Além de compor músicas para si mesmo, que se tornaram padrões de reggae - "Feeling Soul", "My Time", "Going Home", e "Too Experienced", para citar apenas algumas – Bob também compôs músicas, que se tornaram sucessos, para muitos outros artistas da gravadora.
Em 1970, o reconhecimento internacional veio quando Bob e Marcia Griffiths gravaram "Young, Gifted and Black" de Nina Simone, que vendeu 1/2 milhões no Reino Unido e na Europa, e que continua sendo frequentemente tocada nas rádios. BOB & MARCIA tornaram-se nomes conhecidos, aparecendo no programa de TV britânico Top of the Pops e fazendo extensivas turnês. Eles tiveram outro hit entre as 10 melhores músicas no Reino Unido (UK Top Ten) e dois álbuns pela gravadora Trojan Records.
Durante os anos 70 Bob continuou com suas gravações solo, "You Don’t Know" e "Life" são duas músicas deste período que possuem um lugar especial nos corações de seus fãs britânicos. Após o final da dupla em 1974, Marcia se tornou uma das integrantes do grupo de backing vocals de Bob Marley chamado I-Threes, e as músicas de Bob "Fire Burning" e "Check It Out" provocaram uma reação emotiva nos jamaicanos na nova consciência social da era Manley.

Nos meados dos anos setenta Bob foi o gerente de A&R da gravadora Tropical Soundtracs. Ele e Márcia se juntaram para gravar o disco Kemar, que continua sendo o álbum definitivo de Bob & Marcia e que também foi lançado com o nome Really Together pelo selo de Bob. Bob foi um dos primeiros artistas jamaicanos a estabelecer a sua própria editora musical, ANDISONGS, e um dos principais motivadores na tentativa de estabelecer uma Organização de Direitos Autorais Caribenha.
1978 viu o lançamento do álbum de Bob chamado Lots of Love and I, que entre muitas excelentes faixas contém os clássicos "Ghetto Stays in the Mind" e "Feel the Feeling." No mesmo ano, ele viajou para Cuba para se apresentar no 11º Festival Mundial da Juventude e Estudantes. Então Bob se ausentou do cenário musical durante cinco anos enquanto se tornava cada vez mais envolvido com a arte dramática. Ele atuou nos papéis principais de várias produções teatrais, e em 1979 estrelou no filme jamaicano de longa metragem chamado Children of Babylon.Em 1983, Bob foi recebido de volta às paradas de reggae com o número um hit, "Honey", seguido pelo álbum número um, Friends. Para esses lançamentos e subsequentes ele formou seu próprio selo musical, I-ANKA, na Jamaica e no Reino Unido.

Durante o ano de 1985 Bob fez uma turnê na Califórnia, apareceu no Festival da Juventude em Moscou, foi a atração principal do primeiro Reggae Sunsplash Japonês. O álbum Restropective foi lançado em 1986 (1987 on Heartbeat / Rounder Records na América do Norte) para aclamação difundida da crítica. Ele cria então o elo histórico que estava faltando entre sua obra-prima do Studio One Bob Andy’s Songbook e seu trabalho mais recente.
Em novembro de 1987, Bob assumiu o cargo de Diretor de A&R e Promoções da Tuff Gong (grupo de empresas fundado por Bob Marley). Nesta função ele representou Tuff Gong Music em muitos eventos da indústria musical na Jamaica e no exterior. Ele produziu músicas de artistas como Nadine Sutherland, Ernest Wilson e Tyrone Taylor, e de novos talentos também. A permanência de Bob na Tuff Gong lhe proporcionou muitas oportunidades para expressar seu antigo desejo por padrões mais elevados na música jamaicana, tanto em suas operações comerciais quanto na qualidade de sua produção musical.
Freely, lançado pelo selo I-Anka no final de 1988, foi composto por faixas gravadas durante meados dos anos 80. Ele recebeu elogios e passou muitos meses nas paradas de reggae. Assumindo mais uma vez seu papel de pioneiro na música jamaicana, Bob passou seis meses na Austrália em 1989, liderando workshops e tocando com músicos locais. Em 13 de dezembro de 1989, ele se juntou a outros artistas conhecidos do reggae no estaleiro de Gdansk na Polônia para um show Anti-Apartheid patrocinado pelo sindicato Solidarity para celebrar o progresso dos movimentos de libertação do mundo. Durante os anos 90 a Continental Records, uma das maiores gravadoras brasileiras, lançou uma compilação chamada Bob Andy, e vários álbuns de Bob foram lançados no Japão. Bob gravou o álbum Hanging Tough para o produtor Willie Lindo em seu Heavy Beat Studios em Miami. O conjunto foi lançado em 1997 pela VP Records e entre as faixas estavam as inspiradoras "Love This Life" e "Die No More."

Os anos 90 e os primeiros anos do novo milênio encontraram Bob dando performances impressionantes na Europa, Japão, Jamaica, Canadá e nos EUA. Além de suas performances solo, ele se juntou a Marcia Griffiths para uma série de shows especiais.No início de 2005, Bob fez sua primeira viagem à África. Ele se apresentou no 60?aniversário de Bob Marley em Addis Abeba para um público de várias centenas de milhares, e também cantou no Palácio do Presidente etíope. Durante uma visita a Shashemane nas semanas seguintes, ele fez shows beneficentes para as 12 Tribos.
Bob Andy
O século 21 tem visto Bob adicionando novos clássicos ao seu repertório, como os bem recebidos "Zion", "There Is A God" e "Ska Music (is Jah Music)". Também houveram outros sucessos pela gravadora Altafaan : "Create Our History" com Luciano, e "Almighty Dolla", bem como uma nova composição, "Constellation", escrita para a cantora de ópera dominicana Marie-Claire Giraud. A música mais recente de Bob é "Send Someone for Me (I’m Coming Home)", gravada com um das ascendentes bandas jovens da Jamaica, Raging Fyah em 2012.
Reconhecimento formal das contribuições musicais de Bob tem vindo de muitas fontes nas últimas décadas. Ele foi premiado pela Revista Rocker com o Lifetime Achievement Award em Kingston em 1989, e pelo Canadian Reggae Music Awards em Toronto, em 1991. A música "Fire Burning" composta por Bob recebeu o prêmio JAMI de Melhor Música do Ano em 1991. Em 1997 ele foi nomeado como uma das "Legendas Vivas" da música no Prêmio Reggae /Soca em Miami e foi presenteado com o Lifetime Achievement Award pelo Festival Bob Marley Day de 1999 no sul da Califórnia. Ele também foi premiado com o Jamaica Prime Minister’s Award de Excelência em 2003, e com o Songwriter Honour Award pela JARIA (Jamaica Reggae Industry Association) em 2012.
Jamaica o condecorou (Order of Distinction in the rank of Commander (CD) on Keith ‘Bob Andy’ Anderson) em outubro de 2006 por suas contribuições para o desenvolvimento do reggae.

Para o aniversário de Bob em outubro de 2011, a comunidade musical jamaicana o homenageou com um show de tributo, "Bob Andy Unplugged". Durante o evento mais de 75 artistas, músicos e arranjadores de renome se reuniram para apresentar algumas das músicas do repertório de Bob. Muitas vezes tem-se observado que a marca de um grande artista é a continuação da produção de obras notáveis ??ao longo de sua vida. Uma verdadeira explosão de versões das músicas e ritmos de Bob ganharam uma nova geração de fãs . O público de Bob terá muito para apreciar na medida que for se familiarizando com as músicas mais recentes, que só servem para aumentar ainda mais um dos mais notáveis e distintos trabalhos da história da música da Jamaica.